segunda-feira, 15 de junho de 2009

Encantos e desencantos do amor

Aí que um dia você acorda e percebe que aquele príncipe encantado, embora não seja sapo, já não tem encanto algum.

E você pode até ficar se perguntando o que fez você agir tão loucamente, mas são tantas as possibilidades...

Talvez tenha sido seu excesso de carência ou a maldita estima que estava em baixa quando você se encantou por aquele cara tão comum.

Mas o que importa é que quando esse dia chegar, independente de qual tenha sido a razão para o encantamento, você vai descobrir se aquela coisa que parecia não caber dentro de ti era amor, paixão ou pura diversão.

O prazo pra esse dia chegar, vai variar. E não adianta querer saber se existe uma fórmula porque não é matemática. Não tente também prever se haverá sofrimento, geralmente uma das partes sofre com o final do relacionamento.

E, voltando, se foi só diversão, maravilha. Beijinhos e 'quem sabe a gente se vê algum dia'. Sem ressentimentos e cobranças.

Se foi paixão, o tesão pode ser o termômetro, mas ele não acaba necessariamente com o fim da relação.

Agora, se for amor... O encanto pode acabar - e vai mesmo acabar mais cedo ou mais tarde, que você não se sentirá desiludida. Por que? Por ter percebido que mesmo aquela pessoa não sendo o poço de perfeição que você idealizou, é com ela mesmo que você quer passar todos os dias da sua vida.

E é. Isso é amor.

3 comentários:

Ana Clara disse...

Lindo texto, Anna! Mesmo... real! Senti exatamente isso nas últimas semanas, e sei: "E é. Isso é amor."

Maldita Futebol Clube disse...

O amor é a clarividência dos sentiomentos! Quando o encanto se esvai , o amor sobressai e mesmo o feio tem seu encanto, o quebrado pode ser consertado e o ruim seer melhorado...post de quem está conhcendo do que fala, o amor! muito bom...beijos, leandro

Nadja disse...

Quem uma vez na vida não se pergunta tudo isso,não é?



:)